Temer marca encontro com Forças Armadas para garantir cumprimento da Constituição

Encontro entre os Três Forças Militares aconteceu com Temer e aliados nesta sexta-feira (19) em Brasília.

Em notas divulgadas nesta sexta-feira (19), os comandantes das Três Forças Militares (Aeronáutica, Marinha e Exército) anunciaram que os preceitos constitucionais devem ser mantidos neste momento de crise política no país. Os militares estiveram reunidos com o presidente Michel Temer após o escândalo envolvendo seu nome vir à tona nesta semana e publicar uma nota momentos depois em que o encontro com o presidente aconteceu.

Nas notas divulgadas na internet, os comandantes disseram que foram ‘convocados’ para a reunião que aconteceu nesta sexta-feira (19). Durante o encontro, os militares discutiram a conjuntura atual do cenário político em que o Brasil se encontra. O poder das Forças Armadas está garantido na Constituição Federal de 1988, onde foram estabelecidas as diretrizes jurídicas que estabelecem os preceitos básicos da justiça brasileira. Foi através da Constituição que diversos outros códigos e leis foram criadas, sempre respeitando a carta magna brasileira.

Além dos comandantes, estiveram reunidos com Michel Temer o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen e Raul Kungmann, ministro da defesa no governo interino. O comandante do exército brasileiro, Villas Bôas, comunicou em nota o papel fundamental das Forças Armadas em um período de instabilidade política e social como o que vive o Brasil atualmente. Na nota publicado por Villas Bôas, o militar fala sobre a ‘estabilidade, legalidade e legitimidade’ que as Forças Armadas representam para o país.

As três forças mantiveram coerência nas notas publicadas, falando sobre a subordinação do poderio militar a Constituição Federal, que garante entre diversos direitos, como a liberdade de expressão. A nota foi recebida com clamor nas redes sociais, por alguns simpatizantes dos militares, que acreditam que uma intervenção seria a forma mais eficaz de conter os problemas causados na esfera política nos últimos dois anos.

O encontro entre os militares e o presidente da república, Michel Temer, acontece logo após as gravações do empresário da JBS, Joesley, serem divulgadas em toda a imprensa. Com um alto índice de rejeição e com uma instabilidade recém-criada em seu governo, alguns militantes contra o governo de Michel Temer acreditam que o presidente estava preocupado com uma intervenção militar após o escândalo envolvendo seu nome estourar em Brasília. Mas, para acalmar os ânimos dos dois lados, os Três Poderes publicaram uma nota mostrando o total respeito às leis brasileiras, e assegurando que eles estão dispostos a trabalharem em prol a um país melhor, após toda a desestabilidade gerada pela crise política vivida nos últimos dois anos.

Fonte: News 365