Servidora completa 30 anos de serviços prestados ao Município de Ronda Alta

A Psicóloga Ieda Aparecida do Nascimento, lotada na Secretaria Municipal de Saúde de Ronda Alta, conquistou sua aposentadoria. Após 30 anos de serviços prestados à comunidade rondaltense, a profissional, enfim, terá o merecido descanso.

Ieda iniciou suas atividades no município em 8 de novembro de 1989, realizando atendimentos individuais e tentando atender, da melhor forma possível, toda a demanda de pacientes em uma época em que sua profissão era muito estigmatizada: “psicóloga é médica para loucos”. Inclusive, naquele período, as demandas eram encaminhadas pelo Judiciário, por colegas médicos, enfermeiros, e raramente havia procura espontânea.

Com o passar dos anos, a profissional começou a realizar atendimentos grupais nas comunidades do interior, onde, junto com os pacientes, inicialmente fazia um estudo acerca dos assuntos que lhes interessavam e em seguida começava um circuito de esclarecimentos. Os grupos eram frequentados somente por mulheres. Posteriormente começaram a ser organizados os grupos de idosos, quando eram tratados assuntos diversos relacionados a saúde e, como sempre havia a presença de uma enfermeira, naquelas ocasiões também era feita a aferição da pressão arterial. Quando necessário estas visitas contavam com a presença de um médico.

Devido ao grande número de pacientes egressos psiquiátricos, que viviam segregados, escondidos por suas famílias, pois muitas tinham vergonha dos mesmos, optou-se por criar um grupo cujo objetivo principal sempre foi evitar a reinternação psiquiátrica, visto que, entre outros, geravam muito gasto aos cofres públicos. O grupo tinha poucas pessoas, mas na medida que o trabalho começou a ser divulgado e as pessoas passaram a entender o que eram os encontros e como era o grupo, este foi ficando cada vez maior, sendo que nos últimos anos participavam 50 pacientes, divididos em dois grupos, que reuniam-se em horários diferentes.

No ano de 2012 Ieda foi diagnosticada com Câncer de Mama e precisou se afastar pelo período de dois anos. Quando voltou, por recomendações médicas, a profissional retomou o atendimento somente com os grupos: nas segundas, os pacientes depressivos; nas terças, as mulheres; nas quartas e quintas, os grupos de egressos I e II.

No decorrer de sua caminhada profissional, a servidora realizou visitas domiciliares, participou de encontros com professores, atendeu grupos de crianças, em sua maioria carentes, prestou atendimento nas escolas e creches, participou ativamente de vários conselhos municipais, ministrou palestras, entre tantas outras atividades relacionadas a sua especialidade. Ao finalizar sua caminhada como profissional do Município de Ronda Alta, Ieda destaca: “sempre trabalhei com a parte marginalizada da população e amei tudo o que fiz nestes anos todos, pois acredito que é na aceitação das diferenças que evoluímos. Tive, certamente, muitas dificuldades, mas penso que as adversidades são oportunidades de crescimento e aqui em Ronda Alta, nesta cidade pequena, eu “pequena”, cresci muito. Serei eternamente grata”.

Por: Assessoria de Imprensa/Ronda Alta