Professor Luciano Schwerz defende tese de doutorado sobre irrigação na cultura do milho

A caminhada acadêmica em busca de capacitação e novos conhecimentos para compartilhar com os estudantes exige muita dedicação dos professores. O docente Luciano Schwerz, vinculado ao Curso de Agronomia do CESURG, defendeu sua tese de doutorado no dia 14 de junho, na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), da USP, em Piracicaba, São Paulo.

Com o tema “Necessidade e estratégias de irrigação para a cultura de milho no Estado do Rio Grande do Sul”, a pesquisa desenvolvida por Schwerz foi motivada pela constante discussão acerca da viabilidade de implantar sistemas de irrigação no Rio Grande do Sul. “Nossa demanda é propor uma irrigação suplementar, então não sabemos o quanto iremos utilizar o sistema ao longo dos anos, o que altera muitas vezes o planejamento e tem tornado lenta a expansão das áreas irrigadas. Assim, queríamos determinar qual a lâmina média de irrigação para as áreas de cultivo de milho no Estado, e quais seriam as estratégias que trouxessem maior retorno ao produtor, bem como ser de base para politicas públicas de fomento a esta prática”, explica o docente do CESURG.

De acordo com Schwerz, a pesquisa objetivou determinar a necessidade da irrigação com base no balanço hídrico e na produtividade de milho, bem como propor estratégias de manejo de irrigação para dez épocas de semeadura em dez municípios do estado do Rio Grande do Sul. “Para isso, montamos o balanço hídrico para a cultura do milho simulando vários parâmetros de desenvolvimento e crescimento da cultura, para 10 municípios do Estado, simulando 10 épocas de semeadura com um banco de dados meteorológicos com 17 a 25 anos de observações”, revela.

A pesquisa oportunizou descobertas pertinentes também para a região. “Concluímos que a lâmina de irrigação média para um período entre 17 a 25 anos de observações meteorológicas revela valores entre 143 a 360 mm.ciclo-1, sendo os maiores valores observados na região da campanha, para a região de Passo Fundo, a qual apresenta características mais similares às de Sarandi a lâmina média a ser aplicada na cultura do milho é de 206 mm.ciclo-1. Também as semeaduras dos meses de agosto e setembro apresentam melhor atendimento das necessidades hídricas, sendo as semeaduras de outubro as de maior risco ao agricultor”, destaca o docente, entre outras descobertas.

A qualificação da ESALQ no cenário nacional e internacional foi um dos motivadores que levaram Schwerz ao doutorado. “Desde a graduação sonhava em estar na ESALQ um dia, pois sempre ouvia falar da grande reputação que a mesma tem, e das grandes pesquisas e pesquisadores da instituição. Em fevereiro de 2013 iniciei esta caminhada [do doutorado], ao mesmo tempo que assumi o trabalho de Extensionista rural  na Emater-RS/Ascar de Sarandi e, em 2016, como professor no CESURG. Foram muitos desafios nesta caminhada toda”, relata o pesquisador.

Formação acadêmica e atuação profissional

Luciano Schwerz é engenheiro agrônomo formado pela UFSM, onde concluiu mestrado em Agronomia: Agricultura e Ambiente. Agora, também doutor em Fitotecnia pela ESALQ-USP. Atualmente, além de professor das disciplinas de Agrometeorologia e Estatística do Curso de Agronomia do CESURG, também é agricultor e extensionista rural e coordenador do Escritório Municipal da  Emater-RS/Ascar de Sarandi.