Região permanece na bandeira vermelha
Oito regiões seguem com a bandeira vermelha dentro do mapa final da 12ª rodada do Distanciamento Controlado.
Publicado em 27 de julho de 2020
Compartilhar
A- A A+

O governador Eduardo Leite confirmou, nesta segunda-feira, que oito regiões seguem com a bandeira vermelha dentro do mapa final da 12ª rodada do Distanciamento Controlado. Das 14 regiões que foram definidas como risco alto para a Covid-19 no mapa preliminar, permanecem com a classificação: Porto Alegre, Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Caxias do Sul. São as mesmas regiões que já eram consideradas áreas de alto risco de contaminação com o coronavírus da semana passada.

O gabinete de crise aceitou os pedidos de reconsiderações das regiões de Santo Ângelo, Cruz Alta, Santa Rosa, Santa Cruz do Sul, Pelotas e Bagé, que retornam para bandeira laranja para esta semana. Os municípios de Morro Reuter, Arambaré, São Lourenço do Sul e Coronel Bicaco também apresentaram pleitos que foram definidos. 

As regiões da bandeira vermelha devem seguir maiores restrições para prevenir o contágio a partir da meia-noite desta terça-feira até o dia 3 de agosto. 

As oito regiões em bandeira vermelha agregam 252 municípios, com 7.199.739 habitantes. Dentre elas, 119 municípios poderão adotar medidas da bandeira laranja por não registrarem hospitalização e óbito por Covid-19 nos 14 dias anteriores a apuração. As cidades poderão adotar protocolos próprios para as atividades desde que mantenham atualizadas os respectivos sistemas de informações.

Segundo o governador, o fato de aceitar os recursos das regiões mostra que o Distanciamento Controlado é flexível e resistente. “Está muito claro para nós que o distanciamento tem ajudado até aqui a manter sob controle a capacidade da oferta de leitos diante da demanda que temos para Covid-19 e para outras síndromes respiratórias", disse. 

"Sabemos que as pessoas estão cansadas e que há uma demanda econômica relevante, mas sabemos também que essas medidas de distanciamento estão significando menor circulação de coronavírus e outros vírus, e que estão ajudando a termos se não a redução do número de casos, uma velocidade menor do crescimento. Mesmo que não sejam os indicadores de distanciamento que gostaríamos de ver, são indicadores importantes para mantermos a situação ainda sob controle no Rio Grande do Sul. E pedimos a todos que sigam reduzindo ao máximo sua circulação”, destacou Leite.

Ampliação de leitos 

Um dos indicadores que ajudou as seis regiões a se manterem na bandeira laranja foi a disponibilidade de leitos de UTI para atender pacientes com Covid-19 em todo o Estado. Desde o início da pandemia, já foram habilitados 697 leitos – ampliação de 74,7%, totalizando 1.630 leitos UTI adulto SUS.

Com a maior oferta de leitos, mesmo com o aumento do contágio da doença, o território gaúcho passou de 547 leitos livres na semana anterior para 566. “Essa melhoria pesou positivamente no cálculo de risco de todas as regiões, além de indicadores específicos de cada uma que também melhoraram”, explicou. 



Fonte: Correio do Povo
Fotos
Comentários