Cápsula do tempo é aberta em Ronda Alta

No último domingo, dia 12/01/2020, a reportagem da Rádio Máxima 107.5 acompanhou a abertura de uma cápsula do tempo, na linha Capão Alto, na Barragem do Rio Passo Fundo no município de Ronda Alta.

Na oportunidade a reportagem da emissora foi recebida pelo Sr. Juriti Dala Riva que no ano de 2012, colocou dentro de um recipiente (litro de plástico) devidamente lacrado, um documento contendo informações sobre a barragem, esse recipiente ficou submerso nos últimos 8 anos.

Confira na íntegra o conteúdo do documento colocado dentro da cápsula:

HISTÓRICO

Histórico da estiagem no ano de 2012. Depois de quase 7 meses de sol escaldante, com temperaturas acima dos 40 graus, tivemos a oportunidade de ver a maior baixa deste reservatório.

Também podemos ver e relembrar com saudades, coisas do passado, ou seja, rastros ou ruínas de uma olaria, no Passo da Entrada, ilhas que estavam submersas, troncos de árvores e taquaras em que eram usadas para fechar uma horta do arrendatário Senhor Luis Artur Chieli, em 1966 conhecido como ceguinho. Rastos de calçados, aonde iam  buscar água numa vertente para seu consumo e dos próprios animais.

Vimos e podemos testemunhar cortes de discos de grade mecânica na ilha onde a família Beux, de Campinas do Sul, cultivavam essa área de terra. Em frente ao lote nº 257, na comunidade do Capão Alto em Ronda Alta. Tudo isso 1966.

Já aos 74 anos de idade não lhes posso detalhar todos os fatos, mas tendo lido trechos do livro escrito pelo nobre escritor e Dentólogo Doutor Jairo Antônio Casali, conceituado profissional e símbolo de inteligência, posso lhes afirmar que a barragem do Rio Passo Fundo, teve o enchimento de seu reservatório em 1971 mas a conclusão da unidade 1 só se deu em 19/03/1973. E da 2 13/06/1973 e a sua inauguração foi feita pelo Presidente Emilio G. Medici e pelo Governador Euclides Triques em 26 de setembro de 1976.

Essa Barragem é igual a uma gangorra que sobe e desce conforme o clima, também é cheia de boatos que não levam a nada. Durante esses 74 anos de vida tenho visto 3 grandes secas, todas elas em anos Bissextos e essa não foi diferente.

Quando eu não sei, mas encontrarei um listro plástico, contendo este documento com Firma Reconhecida com Firma em Cartório, no limite da baixa dessa seca. A primeira seca que eu ví quando adolescente foi no ano de 1944, durante a última Guerra Mundial, onde só tinha uma vertente de água para uma comunidade. Em 2004 vimos outra seca, com 6 meses sem chuva.

Também quero deixar registrado para as novas gerações e em especial para os ambientalistas e outras classes que sempre culpam os agricultores pelas mudanças no clima.

Mas no século passada também teve grandes secas, com grandes e muitas extensas matas, sem agredir o meio ambiente, não tinha máquinas agrícolas, nem plástico e nem veneno.

Ronda Alta, 04 de junho de 2012.

Juriti Dala Riva

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

 

Ao fim da nossa reportagem o Sr. Juriti Dala Riva informou que colocará outro documento, para que fique registrado na história.

A Rádio Máxima segue acompanhando o dia a dia da comunidade, contribuindo no desenvolvimento regional, construindo uma história nova todos os dias.

Por: Jornalismo Máxima FM