Caminhão preso com drogas placas de Constantina não pertence a empresa e nem tem relação com o município

O caminhão com placas de Constantina preso com drogas em Portão/RS com uma tonelada de maconha, na tarde desta quarta-feira 10, na RS 122. Não tem relação com empresa de Constantina e nem com o município. O veículo havia sido vendido no mês de março de 2017, para um homem no estado do Paraná, toda a parte legal de transferência foi realizada pela empresa antiga proprietária do caminhão, como a desistência e também a comunicação de venda ao Detran/RS, bem como contrato de compra e venda efetuados, ficando de responsabilidade do novo proprietário realizar a transferência de nome e de município, o que por motivos desconhecidos não foi realizado. O veículo estava com o documento 2017 para circulação suspenso pois não havia sido efetuada a transferência.
O caminhão com a droga estava vindo da fronteira do Brasil com o Paraguai e seguia em direção à Região Metropolitana de Porto Alegre quando foi abordado pela equipe da Receita Federal. O motorista natural do estado do Paraná viajava sozinho e foi detido pelos policiais. Ele foi encaminhado à autoridade policial para configuração do flagrante.
A suspeita inicial é de que o destino da droga fosse a região metropolitana de Porto Alegre. Sobre a origem da carga ainda segundo a Receita Federal, o motorista havia dito que teria saído de Cascavel, na região oeste do Paraná.

A empresa de Constantina que vendeu o caminhão realizou no dia 14 de março 2017 o comunicado de venda ao Detran/RS.

Jornalismo Máxima FM
Foto: Receita Federal